Categorias Agenda de Eventos
Nenhuma agenda disponível para hoje.
Aniversariantes
José Ribamar Souza Lima 10 de outubro
Josias Nazareno Mescouto 12 de outubro
Heitor Moura Gomes Feliz Aniversário.
Eliane Simone Borges 21 de outubro
Moacir Delmônico 28 de outubro
Ícaro Dantas 29 de outubro


Parceiros Bar Maverick 73

Eon Cervejaria

Itacaiúnas Hotel e Restaurante
ESTRADA REAL - RECANTOS DE MINAS E SUAS PECULIARIDADES Postado sábado, 14 janeiro de 2017 / Viagens longas Se você está em MG e pretende conhecer algumas de suas belezas naturais e degustar de sua culinária peculiar, mas tem poucos dias, esse rolê pode ser perfeito para você.

É um trecho especial da Estrada Real, o que fiz em cinco dias foi um roteiro maravilhoso indicado por um biker, meu grande amigo Gustavo, do UAI RIDERS, que também é um apaixonado por aventuras e motocicletas.

Batizado de “360º na Serra do Cipó” esse é um roteiro que de fato não é pra iniciantes, mas também não é de muito difícil acesso, a parada é que são muitos quilômetros de estradas vicinais de terra bastante ermas e distantes, por vales bastante encaixados com subidas e descidas (parte mais tensa), repletas de costelas, cascalhos soltos, bolsões de areia, pedras, um palmo de pó, riachos e lavai fumaça!

De fato, exige do piloto uma conduta em baixa velocidade (máxima 60km/h) e bastante técnica, pois os terrenos não são baratos, mas se você não estiver muito esperto e não tomar alguns cuidados, comprará vários pelo caminho, se eu comprei algum? Sim, apenas um, mas sustos não faltaram a todo momento.

Bom, foi um total de aproximadamente 490km, sendo mais ou menos uns 250km de asfalto e 239km de terra.
Sai de BH na companhia do Gustavo até a casa dele na Serra do Cipó, ele trabalha lá como secretário de Turismo e infelizmente teve que ficar por lá para trabalhar. Eu segue viagem rumo a Conceição do Mato Dentro, para de lá ir para Tabuleiro, onde o objetivo era ir na Cachoeira do Tabuleiro que é a maior de MG com 273 metros, 3ª maior do Brasil. Está cravada na Serra do Espinhaço, uma região espetacular, modéstia parte.

De lá, depois de acampar dentro do parque e ser ninado pelo som das águas, fui para um cânion muito lindo, Peixe Tolo, de tirar o fôlego. Depois de um almoço caseiro encomendado de primeira com tudo orgânico e barato, segui de 4h da tarde até 9h da noite, sentido Cabeça de Boi! Um lugarejo bucólico, uma pintura em 3D, onde o nome eu já conhecia desde os meus 14 anos e só agora pude conhecer, claro que foi o lugar mais especial da viagem.

Chegando lá de cara sou recepcionado por um motociclista de 50 anos que estava prestes a lançar o seu livro que prometi não divulgar o título, mas em breve, quando lançar eu indico a leitura, onde ele conta a sua saga pelas Américas, Ushuaia ao Alaska em uma HD, aí tem que sentar no boteco e tomar uma caixa para contar essa história. Ficamos até altas horas no boteco do Seu Agostinho trocando ideias e escutando os causos e violas.

Depois de muitos amigos e histórias fascinantes nesse lugar mágico, segui para Serra dos Alves, Cachoeira do Bongue, Cachoeira alta (97metros), maravilhosa, fácil acesso tanto por baixo quanto por cima, onde tem também a cachoeira do patrocínio.

Bom esse papo está ficando muito grande e eu não contei nada do que vivi nesses dias, são só alguns flash do que rolou, uma hora a gente senta para tomar aquela gelada e eu conto os detalhes imperdíveis dessa trip que pretendo repetir mais vezes com certeza.

Boa viagem amigos, vida longa e até breve.
© 2019 - Todos os direitos reservados à É NÓIS MOTO CLUBE
Desenvolvido por WW Produções